domingo, 5 de agosto de 2012

A Lenda da Vitória-Régia

A Amazônia é um celeiro de lendas que encantam a todos, desde os mais novos aos mais velhos. Uma lenda conhecida pelo povo indígena da região é a da Vitória-régia, flor aquática muito comum na floresta brasileira e que chega a atingir até 2 metros de diâmetro.
Sugestões de Atividades:
- Leitura e interpretação oral da lenda.
- Ilustração das partes da lenda para a confecção de um livro.
- Confecção de um painel ou mural com a Vitória-régia feita com cartolina.
- Localização no mapa da Floresta Amazônica.
- Visita ao Jardim Botânico ou a outro lugar da cidade em que tenha essa flor.
- Pesquisa de outras plantam que bóiam.
- Confecção do cenário (árvores, peixes, lua, vitória-régia) e vestuário (cocares, tangas, colares, estrelas) para a dramatização.
- Dramatização.
- Relaxamento com sons da floresta.
Adaptação da lenda para encenação por crianças da Educação Infantil:
Personagens: Cacique, índios, lua, estrelas, Naiá;
Cenário: Floresta – árvores feitas com cartolina ou papel cartão, folhas secas espalhadas pelo chão; Rio – um lençol azul esticado no chão, com peixes coloridos e a lua, presos com fita adesiva em cima dele. Algumas crianças caracterizadas de índios, sentadas em semi-círculo. O cacique está sentado num plano mais alto ou em pé. Ao lado a lua (menino) e várias estrelas em volta (meninas).
Professor – Nas tribos indígenas é muito comum os mais velhos contarem histórias para os mais novos saberem um pouco dos seus antepassados. Foi numa dessas noites que os curumins conheceram uma lenda bem antiga.
Cacique – Havia uma índia muito bonita que era da tribo dos Maués.
Índio 1 – Onde fica essa tribo?
Cacique – Fica lá no Amazonas.
Índio 2 – E como era o nome da índia?
Cacique – Naiá. Ela adorava a lua. Os índios diziam que a lua era um guerreiro valente que subiu ao céu.
Índio 3 – Ela acreditava nisso?
Cacique – Sim, ela também achava que a lua fosse um índio.
Índio 4 – E o que aconteceu?
(Entra Naiá e olha para a lua.)
Naiá – Lua, ó lua! Como você está bonita.
(As estrelas se aproximam e fazem carinho na lua.)
Estrela 1 – Posso ficar perto de você?
Estrela 2 – Eu também quero.
Estrela 3 – A noite hoje está maravilhosa.
Professor - Naiá não gosta nem um pouco, mas não pode fazer nada, pois está aqui na Terra e a lua muito distante, lá no céu.
Naiá – Ah, como eu queria ser uma estrela para ficar pertinho da lua.
Professor – Então, ela resolve dar um passeio pela floresta, admirando a linda noite de luar. De repente, ao se aproximar do rio, vê a imagem da lua refletida nas águas. Naiá acha que a lua desceu do céu para vê-la.
Naiá – Meu guerreiro! Estou muito feliz, finalmente você veio ficar comigo.
Professor – Naiá mergulhou bem fundo no rio e não voltou mais. (Levantar uma parte do lençol e a criança fica por baixo dele). Tempos depois, apareceu boiando nas águas do rio Amazonas uma enorme e maravilhosa flor, que abre as suas pétalas, à noite, para o luar. (Colocar no rio uma vitória-régia feita de cartolina). A índia transformou-se na bela Vitória-régia.
Como acontece com várias lendas, existem diferentes versões que variam de região para região.

3 comentários:

Valéria disse...

Olá adorei conhecer seu blog, já estou seguindo e espero sua visita no meu cantinho. Tá tendo um sorteio bem bacana por lá, sinta-se convidada.
Beijo.

Alessandra disse...

Obrigada Valéria! Já fiz uma visitinha no seu blog, bem legal!

edirlene santos disse...

adorei me ajudou bastante, obrigada