terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Livros para as férias

Vale a pena a leitura. Li e recomendo.

quinta-feira, 16 de julho de 2015

A varinha mágica

Alessandra - Há muitos anos havia uma fada bondosa que gostava de ajudar as pessoas. Um dia, no bosque onde morava, teve uma ventania e levou sua varinha para longe. Ela procurou durante vários dias e não a encontrou. Então ela resolveu fazer um encanto: - Quem encontrar a minha varinha poderá realizar muitos desejos - disse a fada. Ela continuou vivendo no bosque e aprendeu a realizar seus desejos mexendo as orelhas. Vocês gostariam de conhecer o bosque onde mora a fada?
Crianças - Sim!
Alessandra - (Abro na sala um túnel de pano.) Vamos entrar nesse túnel e sairemos lá. (Todos passam pelo túnel, animados.)
Eliane - É um túnel mágico.
Sabrina - Vamos conhecer o bosque da fada!
Alessandra - Aqui é o bosque, vamos até aquelas árvores lá do outro lado. (Em algum momento do caminho coloco uma varinha num canto da sala para ser encontrada pelas crianças.)
Gustavo - Olha! Uma varinha!
Paulo - Nós achamos a varinha da fada!
Alessandra - Cada um ficará um pouco com ela e vai transformar os amigos e o lugar no que quiser. Todos devem obedecer quem estiver com a varinha. Mas vamos fazer apenas movimentos corporais, sem som.
Geisa - Posso começar?
Alessandra - Pode sim.
Geisa - Todo mundo vai virar leão. (Todos se transformam em leões ferozes, caminhando pela sala. Escuto alguns rugidos e lembro que movimentaremos somente o corpo.)
Geisa - E agora vão virar estátua. (Nessa hora o silêncio predomina, ninguém fala ou se mexe.)
Alessandra – Geisa, você vai escolher alguém para ficar com a varinha.
Geisa - Eu escolho o Cláudio.
Cláudio - (Pega a varinha.) Vocês vão ser dinossauros. (...) E agora todo mundo é formiga.
Alessandra - O que vocês estão fazendo como formigas?
Paulo - Eu moro no formigueiro.
Sabrina - Tô carregando muitas folhas.
Eliane - Vou me encontrar com outras formigas.
E assim a brincadeira continua até que todas as crianças tenham ficado com a varinha e realizado seus desejos.

sábado, 18 de abril de 2015

Uma reflexão sobre o teatro na escola

É comum ouvir de alguns adultos comentários do tipo: "Vocês estão ensaiando uma pecinha?" Não, aula de teatro não significa que estamos decorando textos, ensaiando. Só para lembrar, o teatro na escola não pretende formar atores e sim trabalhar o desenvolvimento global do educando.
Não sou contra apresentações públicas, mas estas devem ser a última etapa de um trabalho muito bem feito.
Quem não tem uma experiência ruim para contar de uma apresentação na escola? Quem é que nunca se ofereceu para fazer o trabalho do colégio inteiro e ficar sem apresentá-lo oralmente?
Alguém já parou para pensar de onde vem esse medo, essa vergonha? Com certeza vai encontrar a resposta no próprio meio escolar.
Por isso, já dizia Peter Slade, nem sempre apresentar peças é um bom ensino de teatro. Decorar falas que talvez não tenham significado para a criança, repetir palavra por palavra sem mudar nada, sem criar. Não saber onde colocar as mãos, o que fazer se esquecer a fala e se for o outro quem esqueceu? Lendo assim parece uma coisa torturante. E vendo por esse lado é mesmo.
Quando me perguntam indicações de cursos de teatro, sempre digo para a pessoa escolher um que não tenha montagem de peça ou se tiver que seja beeeeemmm lá na frente.
Há muita coisa para ser trabalhado antes, inicialmente, na Educação Infantil, com os jogos dramáticos e depois com os jogos teatrais.
Nas aulas de teatro podemos trabalhar a socialização, o equilíbrio, a concentração, a imaginação, a criatividade, a linguagem, a reflexão, a capacidade de resolver problemas, a memória, a sensibilidade, a espontaneidade, a percepção, a autoestima, a memória, a consciência corporal. Ufa!
Muitas pessoas criticam o trabalho com teatro feito pelo professor de turma, dizendo que deve ser desenvolvido por um profissional especializado. Já vi muitos profissionais sem domínio de turma, trazendo jogos longos demais para a idade, temas fora da realidade e exigindo o que aquele grupo ainda não pode dar.
Se você é professor de turma, leia, pergunte, busque, faça um curso. O teatro em sala pode e deve ser o seu aliado, proporcionando alegria e nunca tensão e sofrimento por parte dos alunos.
Se você é professor de Artes Cênicas ou ator e dá aulas, pesquise sobre o desenvolvimento infantil, as fases da aprendizagem, características de cada faixa etária. Quanto menor a faixa etária do aluno, mas você deve saber.
Não vamos ficar estagnados repetindo sempre as mesmas coisas e com medo de inovar. Os alunos agradecem.

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

Feliz 2015!!!

Em 2015...